Personalidade: Anajú Dorigon

0
25
Foto: TV Globo/ Paulo Belote

Conheça a trajetória da atriz que está no ar como a vilã Camila, da novela “Órfãos da Terra”, que já viajou o mundo com projetos sociais e estudou muito para chegar ao sucesso, sendo apontada com um dos jovens talentos da dramaturgia brasileira

Podem dizer que Anajú Dorigon estreou com sorte na televisão, já que seus papéis foram de sucesso absoluto, como a antagonista de “Malhação Sonhos”, Jade, com a qual ganhou, por dois anos consecutivos, o Prêmio Jovem Revelação de Melhor Atriz Jovem, em 2015 e 2016, e a mocinha Cecília de “Orgulho e Paixão” – ambas na rede Globo – que conquistou o público com sua valentia e romantismo. Mas quem vê a vilã Camila aprontando todas com maestria em “Órfãos da Terra”, novela das seis da rede Globo, não imagina a extensa carreira dessa jovem atriz, que estudou muito e, se hoje colhe os frutos do sucesso, não se trata de sorte e, sim de muito trabalho, dedicação e talento.

Anaju Dorigon no lançamento da novela das 18h da Globo, “Órfãos da Terra”

Sorte pode-se dizer que ela teve de contracenar com grandes nomes da dramaturgia brasileira – já foi filha de Vera Holtz e Tato Gabus Mendes e agora de Eliane Giardini e Paulo Betti. “Não tem como não sair transformado ao atuar com esses artistas. Às vezes eu olho para os lados e não acredito. O que eu posso dizer é que sempre tive muita sorte e só tenho a agradecer às famílias que eu tive na TV, porque eu aprendi e aprendo muito”, diz. Mas, ela é apegada também aos seus fãs, que a seguem desde a época de Malhação. “Muitos deles, graças a Deus, me acompanham até hoje e eu sou extremamente grata e apegada. É muito lindo receber tanto amor, tanto carinho e afeto de uma forma tão genuína. Acho que o amor de fã é uma das coisas mais puras que existe, eu me sinto muito lisonjeada”, comenta a atriz.

Cecília (Anajú) com as irmãs Benedito, de “Orgulho e Paixão”: Elisabeta (Nathalia Dill), Mariana (Chandelly Braz), Lídia (Bruna Griphão) e Jane (Pamela Tomé). Foto: TV Globo/ Raquel Cunha

Carreira e solidariedade
Nascida em Campinas, no interior de São Paulo, Anajú Dorigon, de 24 anos, começou a fazer comerciais publicitários aos três anos, já foi Miss New Model Universe em 2010, na República Dominicana e Miss Teen Universe no Equador em 2011 e 2012, quando viajou pelo mundo divulgando seus projetos sociais – foi embaixatriz da conscientização da AIDS, na Colômbia, trabalhou com crianças carentes no Equador e exerceu um projeto de reciclagem e conscientização ambiental nas escolas da República Dominicana. O fato de sua mãe ser pedagoga infantil ajudou para que seu trabalho social fosse voltado às crianças. “Meu engajamento sempre foi natural. Quando ajudamos, quem mais é ajudado somos nós mesmos. Só tenho a agradecer pela visão de mundo que isso me deu, pela experiência, pela oportunidade de poder trocar com o outro, de aprender e olhar o mundo com outros olhos”, revela a atriz, que hoje volta seus trabalhos sociais para instituições nas cidades paulistas em que morou, Valinhos e Campinas.

Jade de “Malhação Sonhos” conquistou fãs que acompanham a atriz até hoje.
Foto: TV Globo/ Tatá Barreto

Anajú nunca parou de estudar. Fez artes cênicas na Escola de Atores Wolf Maya, foi aceita no conservatório da renomada escola de cinema New York Film Academy, onde estudou com os melhores coaches e professores do cinema e teatro americanos, e já participou de três filmes, “Acorda, Brasil” (2013), “O Vendedor de Pássaros” (2015) e a co-produção Estados Unidos-Espanha “Jesus de Nazareth” (2017). Para viver Camila, Anajú estudou sobre histórias de refugiados sírios, visitou ONGs e participou de workshops sobre o assunto que é o tema da novela “Órfãos da Terra”. “Está sendo maravilhoso viver a Camila. Ela é o oposto da minha personagem anterior, a Cecília, e é delicioso sair de uma energia e trabalhar em outra completamente diferente”, conta Ana-jú. E assim como Jade, que tinha por traz de sua vilania as cobranças de uma mãe, Anajú acredita que Camila tem seus motivos para ser como é. “Existe um ‘porquê’ por trás da conduta de cada personagem dessa novela e, uma vez que entendemos isso, podemos olhar para eles de forma um pouquinho diferente. O que eu posso dizer é que vai ser bem surpreendente o caminho que a Camila vai escolher percorrer”, diz a atriz, que confessa ter uma quedinha por personagens mais vilãs como Camila e Jade, mas adora qualquer de-safio novo. “Sou completamente apaixonada pelo meu ofício e isso é o mais importante e necessário, porque a gente trabalha com emoção, sentimento, energia. Se estamos felizes, sentimos prazer na atuação, o público sente”, reflete.

Jade e Cobra (Felipe Simas), o casal queridinho do público em “Malhação Sonhos”. Foto: TV Globo/ Raphael Dias

Beleza e boa forma
Para Anajú, assim como na profissão, a atividade física também tem que estar ligada ao prazer. “Se eu não estou gostando, eu canso, fico estressada e paro de praticar, preciso me sentir feliz”, diz. “Atualmente estou apaixonada por ciclismo e tem sido a minha principal atividade física, mas eu também intercalo com corrida e caminhada, amo dançar e pratico ioga”, completa. Ela também se preocupa com a alimentação por acreditar nos seus benefícios. “Para mim é visível: se eu estou comendo mais saudável minha pele fica mais bonita, mais viçosa, meu cabelo fica mais brilhante, minha unha fica mais forte, isso é química, é ciência, é fato. Meu primeiro cuidado é alimentação, e depois disso, sigo as recomendações da minha dermatologista”, diz, contando que prefere tratamentos mais naturais. “Os meus cuidados básicos são: comer de forma mais natural possível, praticar atividade física, usar sempre um protetor solar, nunca dormir de maquiagem, não usar rímel à prova d’água. Esses são meus segredinhos”, conta.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here