Personalidade: Fabiana Karla

0
1187
FOTO: TV GLOBO/ PAULO BELOTE

No ar como a vidente Madá, da novela “Verão 90”, a atriz bateu um papo com a Mirantte Magazine sobre maternidade, casamento, a carreira de atriz e também de escritora

Reconhecida por sua veia cômica, após 10 anos no humorístico “Zorra Total”, Fabiana Karla hoje se divide entre a aluna Cacilda na nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo” e a vidente Madá, seu papel na novela “Verão 90”. Com talento e humor de sobra, é claro, que a maioria das suas personagens acabam indo para essa vertente divertida, a qual ela tira de letra, como a fogosa Olga Bastos de “Gabriela”. Mas, quem não se lembra também da romântica Perséfone de “Amor à Vida” que fez Fabiana mostrar seu lado dramático nas telinhas? E se engana quem acha que ela sossega. “Eu me apaixono por papéis, independentemente do gênero, e pelas histórias que cada personagem carrega nas tramas, mas acredito que todo ator queira fazer um vilão, porque acho que é onde você expurga coisas e onde você testa todos os seus limites e eu adoro me pôr à prova”, conta. Enquanto sua grande vilã não chega, ela se diverte na pele de Madá, com quem tem algo em comum: “nós duas somos sensíveis, atentas e temos muita fé”. Fabiana não é vidente, mas acredita no poder da personagem. “Quando você se comunica com o universo, o universo se comunica com você”, reflete.

Fabiana Karla vive a aluna Dona Cacilda na nova versão da “Escolinha do Professor Raimundo”                                    FOTO: TV GLOBO/ PEDRO CURI

Nascida em Recife, essa pernambucana pode dizer que conquistou não só o Brasil, mas o mundo. São 13 filmes no currículo, entre eles, “D. P. A. Detetives do Prédio Azul 2: O Mistério Italiano”, de 2018 e “O Palhaço”, de 2011, que lhe rendeu indicação ao prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante. E ela se aventura também por trás das câmeras. Em 2016, recebeu o prêmio de Melhor Documentário no Los Angeles Brazilian Film Festival pelo longa “O Caso Dionísio Diaz”, que ela dirigiu com Chico Amorim. E mais dois filmes estarão em breve nos cinemas com Fabiana como protagonista. “Lucicreide vai pra Marte”, que traz sua personagem do “Zorra Total” e “Uma Pitada de Sorte”, em que ela será Pérola, uma animadora de festas que trabalha na empresa da família, mas que sonha em virar uma renomada chef de cozinha. “É um filme que fala sobre persistir, trabalhar com o que se ama e que a família ainda é a base de tudo”, explica a atriz. Na literatura, está indo para o terceiro livro. “Eu escrevo a respeito do que me chama atenção, do que me inspira. Cada livro veio no momento onde eu estava atenta a um determinado assunto. Sou curiosa e isso é ótima ferramenta para escrever”, conta Fabiana, que é autora do infantil “O Rapto do Galo” e co- -autora de “Gordelícias – crônicas de quatro mulheres felizes com seu corpo”. Linda, divertida e de bem com a vida, estampa várias capas de revistas e é considerada uma musa plus size, que inspira mulheres de todos os cantos a se amarem e serem felizes.

Madá em cena com Álamo (Marcos Veras)
que é seu marido em “Verão 90” TV GLOBO/ JOÃO MIGUEL JR

Mesmo assim, para viver Madá ela chegou a perder 20 kgs com exercícios e melhora na alimentação. “Eu sempre me dei bem com as minhas formas e a saúde sempre foi meu foco, mais do que a estética. A maturidade e o conhecimento melhor sobre alimentos saudáveis são fortes aliados nesse processo. Hoje aos 43 anos e com 94kg, inspiro muito mais pessoas do que quando eu tinha 25 anos e 60kg”, reflete. Sua próxima obra literária, “Mães com Açúcar”, tem tudo a ver com esse mês especial. “É um livro de receitas disfarçado, uma ode às avós, que são mães com açúcar (risos). Reuni depoimentos de pessoas que tenham lembranças de pratos feitos pelas avós, assim como eu, que me lembro muito da mesa que minha avó montava e das xícaras de porcelana que ela ficava passando de uma para outra para esfriar um pouco o café com leite. Sempre que sinto esse cheiro, eu logo lembro da casa da minha avó. Isso ficou dentro de mim de um jeito tão especial que eu amo café com leite e até hoje eu só tomo em temperatura morna”, recorda Fabiana.

“Ser mãe é meu melhor papel”
Fabiana Karla é mãe de Beatriz, de 21 anos, Laura, de 20, e Samuel, de 19, três jovens que já moram sozinhos e estão começando a seguir seus caminhos profissionais. “A Laura é cantora e faz faculdade de música, a Beatriz já se aventurou em participações em novela, como a Celinha, de “Eterna Magia”, quando tinha 7 anos, e agora, em “Verão 90”, ela fez a Madá adolescente, mas segue fazendo faculdade de administração. Já Samuel não é do meio artístico e estuda nutrição”, conta a atriz, que foi mãe muito nova. “Eu tive uma maternidade muito corrida e aos 23 anos eu já tinha três filhos, todos quase da mesma idade. Mas, tive apoio dos meus familiares e trabalhei no teatro até a hora deles nascerem”, relembra. “Ser mãe é meu melhor papel. É ter três corações batendo fora do meu corpo e viver por eles”, diz emocionada. E mesmo morando longe dos filhos, ela faz questão de estar sempre presente na vida deles. “Tenho uma agenda bem organizada e sempre que podemos, ou viajamos juntos, ou todos vêm para a casa da mamãe ou a mamãe vai até os filhos”, conta. E quando o encontro não é pessoal, é virtual, já que a tecnologia ajuda muito para que estejam todos conectados e se falem com frequência. “O diálogo é a base de tudo na minha casa. Se alguém tiver dúvidas sobre algo, vamos procurar a solução juntos. Onde tem amor, respeito e diálogo, há condição de formar pessoas melhores para o mundo. E eu pretendo iniciar isso na minha casa pela minha orientação”, ensina.

Publicidade

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here