Alimentação X câncer de próstata

0
212

Você sabia que manter hábitos alimentares saudáveis, aliados à prática de exercícios, ajuda a evitar o adoecimento?

O mês de novembro é marcado pela campanha Novembro Azul, que ajuda na conscientização contra o câncer de próstata e na discussão sobre meios de prevenção da doença. E um desses meios é pela alimentação. “De acordo com a Associação pela Saúde da Próstata, entre os fatores de risco para o desenvolvimento do câncer de próstata, destacam-se: idade superior a 65 anos, história familiar da doença, pertencer à etnia negra, sedentarismo, sobrepeso e obesidade. Por isso, manter hábitos saudáveis, tanto alimentares, como evitar o sedentarismo, praticando alguma atividade física, faz bem para a saúde de todos e ajuda a prevenir a doença”, relata a nutricionista de São Paulo, Karina Cardeal.

Segundo a profissional, a alimentação não precisa ter um monte de regras, ser complicada, elaborada e cheia de dúvidas. “Temos que descomplicar e encontrar o equilíbrio do dia a dia. A ciência mostra que temos que procurar o bom senso e fazer as melhores escolhas, avaliando também a frequência e a quantidade de cada alimento consumido”, ensina. Ela indica uma alimentação rica em fibras, com consumo de alimentos integrais, frutas, verduras, legumes e cereais, que vai auxiliar, tanto na prevenção do câncer, como no tratamento da patologia. “Uma alimentação equilibrada, com aporte de todos os nutrientes necessários evitando alimentos ultra processados como embutidos, salgadinhos, biscoitos recheados, refrigerantes, dentre outros, garantirá o bom funcionamento do organismo”, diz Karina.

Além disso, há substâncias presentes em alguns alimentos que podem ser consideradas protetoras contra o câncer de próstata, de acordo com Karina. “Uma delas é o licopeno, que é encontrado no tomate. Há ainda os ácidos graxos não saturados de cadeia longa, encontrados em óleos de peixes, sobretudo o salmão, e os flavonóides e os isoflavonóides que existem na soja, frutas, legumes, chás e vegetais”, indica a nutricionista. Ela também ressalta que devemos ter consciência de que alguns alimentos como as carnes processadas, os industrializados e as bebidas alcoólicas devem ser evitados. “Durante o tratamento do câncer de próstata, o acompanhamento nutricional é essencial para visar à manutenção da qualidade de vida, contribuindo também para a minimização dos efeitos adversos do tratamento”, completa.

Por outro lado, Karina ressalta que a culpa por comer um alimento dito não saudável, pode gerar uma sensação de fracasso, de falta de força de vontade. Por isso, procurar ajuda de um profissional qualificado que conduzirá a reeducação alimentar de forma adequada é essencial para que o paciente possa se relacionar de maneira saudável com a comida, fazendo as melhores escolhas.

Melhorando a alimentação, praticando exercícios e se expondo ao sol para ativar a vitamina D (com as devidas precauções de horários e uso do filtro solar), o paciente ganha mais qualidade de vida. “A vitamina D é considerada inibidora da multiplicação de células cancerosas e, por isso, a exposição ao sol para ativá-la é uma aliada para evitar o adoecimento”, ensina Karina.

A nutricionista também dá uma dica valiosa para quem quer iniciar a mudança de hábitos alimentares e que serve tanto para quem já foi diagnosticado com câncer de próstata, como de forma preventiva para os demais. “Cozinhar! Essa é a maneira mais fácil de incentivar a melhorar a alimentação. Ao descascar mais e desembalar menos, você prioriza os alimentos frescos e in natura (frutas, legumes e verduras) e diminui o consumo de ultra processados”, explica. Ao cozinhar, a pessoa adquire o prazer de preparar seu alimento e é uma forma de aprender na prática que é possível comer pratos saborosos e saudáveis.

DEIXE UMA RESPOSTA

Please enter your comment!
Please enter your name here